ADVINHAR E PREVER – UMA HABILIDADE A SER DESENVOLVIDA

Em latim:

Advinhar é o que  vem dos deuses.

Divinare = divino

É um privilégio essa habilidade, como foi o caso de Tiresias – e que foi punido por falar o que não queriam ouvir

Talvez por isso, o pessoal ironize as advinhações. Ou tenham medo.

Prever é ver antes.

Praevidere

Prae = antes     videre= ver

Antever, como foi o caso de Prometeu. E que preferiu pagar o preço.

 

Interpretar um mapa é fazer previsões.

Pois o próprio mapa É uma previsão.

Se assim não fosse, não haveria Astrologia, nem ela duraria milênios.

 

O astrólogo/a é um canal.

Fala o que veio do divino. Por isso deve reverenciar o que está acima.

Jamais se envergonhe de trabalhar com Astrologia – que EXIGE capacidade de prever.

E isso, é uma habilidade a ser desenvolvida.

Todo dom deve ser desenvolvido.

Nenhum druida se tornava druida só porque nasceu com certas habilidades: levava uns 20 anos aprendendo e aperfeiçoando.

Quem não desenvolve um Dom, não o respeita, não o merece.

 

Técnicas são importantes para começar. Mas, jamais serão o MAIS importante

Qualquer pessoa formada numa universidade de Ciências Humanas sabe que o que se aprende lá, é importante, mas nunca o suficiente, pois jamis se comparará à prática.

A prática separa o joio do trigo.

Por isso, o professor de Astrologia deve dar consultas. Ou repetirá teorias, muitas delas duvidosas, que não preencherão a alma do cliente ou aluno.

 

Todo ensino ou atendimento é seletivo, pois v. se atrai por aquilo que tem afinidade. É como ir numa loja com vários objetos e selecionar o que lhe interessa.

 

A técnica é formal, limitante. A vida tem variáveis e incertezas, como bem sabe a Física Quântica e quem já viveu muito.

Portanto, para prever é preciso muitíssimo mais que técnica.. A começar por nada decorar, não se prender ao básico ou a regras. A vida logo mostra a que veio.

Pois a regra da vida é:

– experimentar, quebrar a cara e encontrar milagres

 

A Astrologia mostra a vida sendo vivida. Tanto quanto as demais Ciências Ocultas: Tarot, Runas, Numerologia, VP, etc

Observe as pessoas por uns 5 minutos e advinhe o futuro delas: pois se uma pessoa se acha vítima, o futuro dela será ser vitima. exceto se estiver se fingindo de vitima para chamar atenção.

Quem usa subterfúgios terá um futuro de subterfugios.

Quem agride será agredido, etc e tal

O olho clínico, treinado, logo percebe as segundas intenções.

 

Interpretação e Previsão é observação e experiência pessoal de vida, é conhecimento e expansão de consciência.

O astrólogo ingenuo logo fecha a banca.

Se v não tem filho, como analisa mapa de criança?

Se v nunca trabalhou numa empresa, como analisa mapa de empresa?

Se v nunca morou junto, como analisa sinastria?

Se v nunca se submeteu a regressões de VP, como analisa Astrologia Karmica?

Se v nunca comeu camarão, como sabe o gosto do camarão, ou se tem alergia a ele?

 

Advinhar é uma das praticas mais antigas. Não se sobrevive adequadamente sem advinhar, prever, perceber. Os caçadores, os neandertais, tinham que advinhar as pegadas dos animais e o movimento das folhas, etc

Agricultores  precisavam perceber os ciclos e programaremse, perceber se ia chover ou não.

 

Todos nós ansiamos por sinais.

Vibrações são sinais, indicam direções

 

Mas o unico futuro exato, certo , é um só:

– A morte.

No meio tempo há futuros intermediários.

Aproveite. Pois tudo que v é ou tem, um dia acabará.

 

Advinhar é deduzir, ter desenvolvimento mental/emocional/espiritual.

Há alguns disfarces da advinhação:

– intuição, inspiração, criatividade

Advinhar, meu bem, é sinal de inteligência.

Qualquer cientista sabe disso. Eles são craques em advinhar. Além de terem profundo senso místico – ou não ficariam anos pesquisando algo sem se importar com criticas e rejeições. Porque , dentro deles, sabem que o oculto é mais confiável que o que está na cara, ou que as tecnicas.

 

Prever é predisposição saudável. Treinada e ensinada pela NASA, como me disse um cliente que trabalha lá.

 

Em harvard e no MIT, há cursos paralelos de Poker, uma espécie de Tarot, para treinar decisões e soluções rapidas, através da observação, de escutar o não dito.

 

Tarot e Runas são excelentes para treinar o desenvolvimento da intuição.

Não se preocupe em querer que a Astrologia seja aceita como ciência, porque ela já é.

A Astrologia é a Ciência das Deduções.

Qualquer coisa que v faça com eficiência é um orgulho para a classe que v representa.

Meus clientes de elevada posição ou de maior percepção, dizem, na consulta:

– Não quero que v me diga o que vai acontecer, quero que me diga o Vetor. O resto deixa comigo. Posso administrar meus acontecimentos.

 

É o que faço também comigo. Vejo o vetor e vou nessa.

 

Siga seus trânsitos. Faça-lhes oferendas, empenhando-se naquela vibração.

Respeite os trânsitos, nada de nhemnhemnhem.

 

Detalhes jamais importam: eles mudam a cada instante.

Nem mesmo importa se vai dar certo ou errado. Quem pergunta isso está inseguro e o risco de fracasso é grande.

O que importa é fazer, é ir! Avante!

Pois se aprende com os erros.

E quem hesita, perde força.

 

Faça tudo que seu mapa exige. Embora ele , jamis, vá lhe dar tudo: somente uma parte. Para v. não se acomodar.

 

Aprenda com a vida e com quem sabe mais do que você. Aprenda com seus erros e com os erros dos outros.

 

A interpretação clássica é:

– observar e deduzir

A Física Quântica diz:

– preveja hipóteses, porque qualquer coisa pode mudar a qualquer momento

– nada está garantido, exceto a morte

– v pode ir do presente para o passado, do passado para o futuro. V. pode ir para onde quiser.

 

E, por falar nisso: onde v quer ir?

Ser livre das regras, porque elas podem ser muralhas.

O Humano é um ser em constante alterações, quando o vento sopra, tudo muda.

Mas quando v tem interesse em algo, os seus olhos brilham: e v rejuvenesce.

 

Prever é perceber o que está acontecendo agora, pois é isso que provocará um acontecimento.

Quem sabe ver, sabe prever.

Saber ver não é para qualquer um, pois depende do estado emocional, entre outras coisas.

 

O momento certo é:

– quando v. pensou em algo – pois se não pensou,não é o momento

– quando a vida lhe traz algo

-e o modo como algo acontece, depende de v., da sua personalidade

 

Prever é dizer Quando. E usar.

Advinhar é perceber para onde as coisas estão indo, é ter desconfiômetro

 

Não espere o melhor momento para fazer algo. Não há melhor momento do que esse que lhe deu vontade de algo ou de que algo lhe foi trazido.

 

É o Destino lhe sussurrando.

 

Mas se v n, realmente, não tem condições de fazer isso que lhe foi trazido, pelo menos vá preparando o caminho. Porque será um modo de se aproximar do futuro.

Aí, o longe logo ficará perto.

 

 

(síntese da palestra no Simpósio de Astrologia – novembro/2016)